Foram paralisadas, na manhã desta segunda-feira (14/01), as atividades de higienização, nutrição e lavanderia do Hospital de Pronto Socorro de Porto Alegre (HPS). A suspensão dos serviços acontece em decorrência do não pagamento dos salários aos trabalhadores que realizam estas funções.
 
A Associação dos Servidores do HPS (ASHPS) expressa sua solidariedade a estes servidores, constantemente desvalorizados pelo Poder Público. Os vencimentos dos mesmos deveriam ter sido quitados até o quinto dia útil do mês. Porém, desde a mudança da empresa terceirizada que presta estes serviços ao HPS, os funcionários não mais receberam os valores devidos. 
 
A paralisação é motivo para grande preocupação, pois causa lixeiras lotadas, leitos inativados, sujeira em diversos locais do hospital e falta de itens básicos como, por exemplo, papel toalha. Esta última situação, inclusive, é um problema que se arrasta por bastante tempo no HPS.
 
A falta de higiene no ambiente hospitalar aumenta as infecções e até mesmo a saúde dos próprios servidores da instituição está em risco. A higienização é fundamental para o funcionamento do HPS. Sem ela, procedimentos e internações poderão ser suspensos, colocando a população em risco iminente de morte. A situação é de extrema gravidade.
 
A ASHPS cobra uma célere atitude da Prefeitura Municipal de Porto Alegre para o imediato restabelecimento dos serviços paralisados, bem como a quitação dos salários dos trabalhadores. Também deixamos nosso repúdio à terceirização de atividades do hospital. Essa medida, com frequência, causa problemas desta ordem, pois desvaloriza trabalhadores de setores como o de limpeza, fundamentais para a manutenção do atendimento de qualidade.
 
Terceirização não é a solução!

14 de Janeiro de 2019
Agradecemos ao Diretor Financeiro do HPS, Danilo Braun, pelo acolhimento da demanda do ar condicionado, representada pela ASHPS.
Apesar do esforço e empenho dos servidores do HPS, sabemos que um ambiente climatizado é fundamental para uma adequada e satisfatória recuperação dos pacientes. Além disso, é imperioso um local de trabalho o mais salubre possível para que as atividades profissionais sejam desempenhadas adequadamente.
Feitas estas considerações, informamos a retomada do funcionamento do ar condicionado nos setores de Diagnóstico por Imagem e Unidade de Queimados.
Salientamos que, neste quesito, o ideal ainda não foi atingido. Seguiremos atentos e mantemos a convicção de que o diálogo sempre é o melhor caminho para a solução dos problemas
 
Paulo Oliveira
Presidente ASHPS
04 de Janeiro de 2019
Tomou posse, no dia 02/01, a nova diretoria da Associação dos Servidores do Grupo Hospitalar Conceição (ASERGHC). A Secretária Geral da ASHPS, Marília Iglesias, e o Secretário Adjunto, Valdionor Freitas, estiveram presentes no ato, a convite dos empossados. 
Completando 6 anos a frente do SINDISAUDE, o novo Presidente da ASERGHC, Arlindo Nelson Ritter, retorna à associação, depois de 7 mandatos de 2 anos cada, intercalados. A nova gestão ainda conta com 15 diretores e 21 conselheiros.
Em seu primeiro discurso, Arlindo citou as últimas mudanças na legislação trabalhista e a tendência de terceirizações na saúde. Ele reforçou a necessidade de pôr em prática o nome da chapa, "Unidade e Ação", conclamando todos a lutar unidos contra as medidas que atacam os direitos dos trabalhadores, bem como mudanças que ainda poderão acontecer, como a reforma da previdência.
O ex-Presidente, Valmor Guedes, enumerou as importantes conquistas de sua gestão e destacou a importância de melhorias para o SUS, assim como o papel fundamental da ASERGHC neste processo. 
Também estiveram presentes diretores e representantes sindicais de diversas outras entidades.
A ASHPS faz votos de que a chapa "Unidade e Ação" faça uma ótima gestão, ressaltando nossa parceria, sempre, em busca de melhores condições de trabalho e da garantia dos direitos dos servidores.
04 de Janeiro de 2019
Em virtude do não funcionamento do ar condicionado em alguns setores do Hospital de Pronto Socorro (HPS), e em atendimento a demandas dos servidores para que o problema fosse resolvido, comunicamos que o Secretário Adjunto da ASHPS, Valdionor Freitas, esteve em reunião com o Diretor Financeiro do HPS, Danilo Braun, para discutir a questão.
Os problemas com ar condicionado são recorrentes no Hospital e, em alguns setores, a situação é grave. É o caso da UTI de queimados, onde a temperatura chega a 28 graus, causando febre nos pacientes que lá estão. Outras áreas afetadas são a UTI pediátrica, tomografia, refeitório e faturamento.
O Diretor Financeiro explicou que foi ordenado o conserto do motor do ar condicionado da UTI de queimados. Contudo, a empresa que realizou o reparo não forneceu garantia. Somente com a garantia em mãos é que poderá ser feita a instalação do equipamento. Ainda em relação a esse setor, falta ser adquirido um cilindro de gás de nitrogênio para o ar condicionado. A previsão, de acordo com o Diretor Financeiro, é de que essas providências sejam tomadas ainda nesta semana.
Quanto ao terceiro e quarto pavimentos, bem como a UTI pediátrica, serão adquiridos e instalados aparelhos novos. O orçamento para essas compras está reservado e sua compra está sendo acelerada, conforme o Diretor Danilo Braun. Para o refeitório e o setor de tomografia, porém, não há previsão.
No tocante à dez novos aparelhos que foram adquiridos recentemente, eles não foram instalados pela falta de rede de 220v, a ser ativada pelo pessoal da elétrica. Contudo, por serem split, eles não podem ficar em unidades como enfermarias etc.
Ficaremos atentos ao cumprimento das providências relatadas pelo Diretor Financeiro, destacando que esta Associação sempre será parceira na busca pela solução dos problemas.
03 de Janeiro de 2019